Craig Wright, que afirma ser o criador do Bitcoin conhecido como Satoshi Nakamoto, alertou o Bitcoin (BTC) e o BCH para que parem de usar o banco de dados Bitcoin para evitar possíveis ações judiciais. Ele afirma que ambas as redes também podem violar as leis sob os termos do EULA e da licença MIT originais do Bitcoin.

O homem por trás do Bitcoin SV na recente postagem no blog pessoal acrescentou que ele vai retomar o controle do sistema que criou e está pronto para lutar por seus direitos este ano.

O principal argumento de Craig Wright

Wrights argumenta que os direitos distribuídos do banco de dados Bitcoin são regidos pelo Copyright, Designs and Patents Act 1988 (CDPA) e pelo Copyright and Rights in Databases Regulations 1997 (Databases Regulations 1997). Portanto, deve ser considerado como propriedade pessoal.

O Dr. Wright afirma que a representação de 21 milhões de Bitcoin total, cada um divisível por 100 milhões de Bitcoin, é apenas um acordo verbal. O criador do Bitcoin deve ter todos os direitos para reivindicar este contrato unilateral com os nós a serem emitidos, acrescentando que:

“Como criador do Bitcoin, mantenho os direitos sui generis de qualquer cópia do banco de dados criada a partir do Genesis em janeiro de 2009. Não vou renunciar à propriedade. Vou licenciá-lo e já participei de um processo. ”

Desde 2018, Craig Wright é o réu em um processo movido em nome do espólio de Dave Kleiman, o falecido parceiro de negócios de Wright. A ação alega que, após a morte de Kleiman em 2013, Wright se apropriou ilegalmente de mais de um milhão de Bitcoin ( BTC ) que a dupla havia extraído em conjunto nos primeiros anos da criptomoeda, além de algumas propriedades intelectuais relacionadas.

O novo julgamento com o caso de Kleiman foi adiado para 17 de abril, e o julgamento não será realizado até julho de 2020. Mas, em qualquer caso, não demorará muito para descobrir que todas essas alegações são legítimas ou não.

VER ARTIGO ORIGINAL