A Justiça do Paraná expediu ordem de despejo contra o Grupo Bitcoin Banco (GBB) por falta de pagamento de aluguel de sua sede em Curitiba (PR), com dívida de R$ 266.664. A matéria é do Portal do Bitcoin.

A EXM Partners, nomeada administradora da Recuperação Judicial do GBB, diz que tomou conhecimento do despejo na terça-feira.

Segundo a petição, a administradora recebeu um Oficial de Justiça em sua sede, o qual informou estar cumprindo “expedição de mandado de despejo para cumprimento imediato” contra a Bitcurrency Moedas Digitais S.A., uma das empresas que formam o Bitcoin Banco.

O processo foi movido em outubro do ano passado por falta de pagamento dos aluguéis de quatro andares ocupados pelo GBB no Edifício Tiemann Headquarters, no centro de Curitiba.

O contrato foi assinado em 15 de abril de 2019 e vigoraria até 30 de abril de 2022.

O valor da dívida na época, com correção monetária e honorários de advogados, era de mais de R$ 490 mil, mas foi atribuído à causa o valor de R$ 266.644.

A EXM Partners informou à 1a. Vara de Falências e Recuperações Judiciais de Curitiba (PR) sobre a ordem de despejo contra as empresas do grupo.

Na petição, afirma que “a existência desta ação de despejo e o consequente mandado expedido não foram noticiados neste feito recuperacional”.

O GBB teve sua Recuperação Judicial aprovada em outubro de 2019, mas o processo desde então não têm transcorrido sem novas polêmicas. A EXM Partners tenta esclarecer o paradeiro de 7.000 BTCs transferidos pelo GBB.

O GBB tentou relançar suas plataformas de negociação, e depois alegou ter sofrido um ataque hacker, o que foi negado por investigação da Polícia Civil.

LEIA MAIS

VER ARTIGO ORIGINAL