Brian Armstrong, CEO da exchange de criptomoeda americana Coinbase, alega que a Apple está reprimindo inovação em cripto e marginalizando o DeFi para proteger-se da competição.

Em uma thread do Twitter publicada em 11 de setembro, Amstrong reforçou alegações anteriores, dizendo que a Apple continua a bloquear algumas funcionalidades para desenvolvedores de criptomoedas.

O CEO alegou que outras empresas de criptomoedas estão “relutantes em denunciar esses assuntos por medo de retaliação”, mas que ele sente a necessidade de denunciar, uma vez que a Coinbase já exauriu os canais regulares de diálogo com a Apple e acabou num beco sem saída.

De acordo com Armstrong, a Apple disse à Coinbase que ela está proibida de adicionar duas funcionalidades específicas aos seua aplicativos para iOS: a habilidade de adquirir dinheiro usando criptomoeda e o acesso a aplicativos de finanças descentralizadas (DeFi).

A primeira restrição, que afeta o produto Coinbase Earn da exchange, teria levado a Coinbase a modificar o seu app de um jeito que é significativamente menos acessível ao usuário.

Nós às vezes acabamos em negociações bizarras com eles, modificando o produto e pedido aos usuários para pular através de argolas (fazer uma coisa no mobile, depois ir para a web para pegar a sua recompensa!) para que possamos cumprir com as normas deles. Isso cria uma experiência pior para clientes Apple e Coinbase.

O CEO alegou que essas restrições são específicas a usuários de criptomoedas, dizendo “Por que a Apple quer impedir as pessoas de ganhar dinheiro durante a recessão? Eles parecem não estar ok com isso, se for para usar criptomoeda”. Para usuários de iOS, Armstrong alegou, apps de cripto carecem de funções não por inatividade dos desenvolvedores, mas porque essas funções estão “sendo censuradas” pela Apple.

Além disso, é dito que a Apple impede a Coinbase de fornecer aos usuários do app uma lista de aplicativos descentralizados ou apps DeFi, ambos os quais “são realmente apenas websites”.

A justificativa da Apple para isso aparentemente tem sido: “O seu [da Coinbase] aplicativo oferece transações de criptomoedas em softwares não incorporados dentro do aplicativo, o que não é apropriado para a App Store.”

Notando que DApps e apps DeFi podem ser independentemente acessados pelo browser web em qualquer smartphone, Armstrong alegou que a decisão da Apple é motivada por um “conflito de interese”.

Enquanto essas restrições “são ostensivamente concebidas para proteger os seus clientes, cada vez mais parece que eles estão também protegendo a Apple da competição”, ele escreveu.

Ao obrigar usuários a usar a App Store da Apple ao invés de DApps, ou compras dentro do app ao invés de pagamentos cripto, Armstrong afirma que as ações da Apple têm paralelo com os problemas do antigo antitrust da Microsoft que obrigava os usuários do Windows a usar o seu browser proprietário, o Internet Explorer.

Durante a crise do coronavírus, em que populações pouco financiadas ou não financiadas podem enfrentar dificuldades até maiores para acessar serviços financeiros tradicionais, Armstrong acusa a Apple de colocar ainda mais uma barreira na inclusão financeira.

Apple, está na hora de parar de sufocar a inovação em criptomoeda. Nós gostaríamos de trabalhar com vocês produtivamente nisso. Um dia, a criptomoeda poderia até mesmo ser integrada ao IAP para dar às pessoas em mercado emergentes um acesso melhor ao sistema financeiro global.

Comenta-se que a Coinbase está planejando apresentar um pedido formal à Apple de alteração de suas políticas da App Store.

VER ARTIGO ORIGINAL