Marcelo Madureira defendeu o uso da blockchain no Brasil. Para o comediante que fazia parte da rede Globo, a tecnologia pode permitir a autenticação de documentos sem a utilização de cartórios. Madureira defendeu o uso da tecnologia blockchain como forma de desburocratizar o país. O famoso enfrentou um problema para vender um imóvel deixado de herança pelo seu pai.

O comediante fez uma dura crítica ao sistema atual de autenticação de documentos no Brasil. Marcelo Madureira afirmou que a tecnologia blockchain pode revolucionar o sistema de documentação física. O famoso publicou um vídeo em seu canal no Youtube criticando a atuação de cartórios e despachantes.

“Com o blockchain, os cartórios não têm serventia nenhuma”

No vídeo publicado por Marcelo Madureira, a blockchain ganha destaque como sendo uma tecnologia que pode substituir o sistema atual de emissão e autenticação de documentos. Com a tecnologia, os documentos poderiam ser autenticados através da internet. Além disso, poderia significar um custo reduzido para todo o processo.

Antes de citar a tecnologia blockchain como algo promissor para o Brasil, o famoso explicou como um serviço de cartório pode ser algo dificultoso. Ao contar sobre a morte do seu pai, Marcelo Madureira explicou que precisou de retirar uma nova certidão de óbito para o falecido.

Famoso precisou de vender imóvel e encontrou dificuldades

Tudo começou quando o famoso tentou vender um imóvel que foi deixado para ele e os irmãos como herança. O imóvel seria vendido para que a mãe do comediante pudesse ter uma reserva financeira para seus cuidados.

A senhora está com mais de noventa anos, segundo Marcelo. Porém, após a tentativa de venda, ele e os irmãos descobriram que precisariam de uma nova certidão de óbito para o pai. O novo documento era necessário para que o acordo de venda do imóvel fosse concluído.

Certidão de óbito com prazo de validade

Ao procurar o serviço de cartório e um despachante, Marcelo Madureira foi surpreendido com o valor total do serviço. O comediante demonstra grande insatisfação ao saber que teria que pagar R$ 1.800 pelo serviço.

O pai de Marcelo faleceu há nove anos atrás. E segundo o cartório, uma nova certidão de óbito deveria ser expedida. O famoso não entendeu como uma certidão de óbito pode ter prazo de validade. Ao questionar o serviço, Madureira alegou que dessa forma o Brasil não pode avançar.

“O atestado de óbito do meu estava estava vencido. É a primeira vez na minha vida que vejo um atestado de óbito ter validade”.

[embedded content]

VER ARTIGO ORIGINAL