A gigante americana de serviços financeiros Guggenheim Partners entrou com um pedido na Comissão de Valores Mobiliários americana (SEC) para investir até $ 500 milhões (R$ 2.6 bilhões) em bitcoin por meio do fundo de investimentos cripto Greyscale.

De acordo com o pedido à SEC, a Guggenheim pretende alocar 10% de seus ativos líquidos em bitcoin. A empresa tem cerca de $ 5 bilhões em ativos sob gestão, se ela conseguir aprovação para alocar os 10%, isso significaria uma compra no valor de pelo menos $ 500 milhões.

“A Guggenheim pode buscar exposição de investimento em bitcoin, investindo indiretamente até 10% de seu valor líquido de ativos através da Grayscale Bitcoin Trust (“ GBTC ”)”.

A Guggenheim Partners é uma empresa de consultoria e investimento. Ela oferece serviços de banco de investimento, mercado de capitais, seguro, comércio, financiamento e varejo imobiliário. A empresa atende clientes em todo o mundo.

Guggenheim SEC
Guggenheim SEC

Se a SEC aprovar o pedido, o bitcoin provavelmente ultrapassará seu recorde histórico de $ 20.000 e entrará no modo de descoberta de preço.

Após a notícia começar a circular, o mercado de opções registrou um aumento nas compras da moeda digital.

O fluxo de dinheiro institucional no bitcoin foi maciço este ano, ao contrário 2017. As empresas que investem na moeda digital podem alimentar o mercado de duas maneiras. Primeiro, quando um nome conhecido como a Guggenheim mostra interesse de investir em bitcoin, isso anima o sentimento geral do mercado.

E segundo, quando as instituições compram bitcoin, elas criam uma demanda significativa porque normalmente investem centenas de milhões de dólares de uma vez.

Com o preço do bitcoin oscilando em $ 18.000, essa compra equivaleria a cerca de 27.650 bitcoins.

A compra pode resultar em um aperto na oferta de bitcoin e a demanda crescente pode disparar os preços. Muitos analistas já começaram a dar metas de seis dígitos para o bitcoin até o final de 2021, prevendo o bitcoin em $ 100 mil.

A Guggenheim Partners agora então deve se juntar a uma lista de instituições que assumiram posições públicas no bitcoin, instituições como MicroStrategy, Square e PayPal saíram na frente.

A Guggenheim pretende fazer o investimento por meio de uma subsidiária devido a razões fiscais:

“Na medida em que o fundo investe no GBTC, o fará por meio de uma subsidiária integral, que é constituída como uma sociedade limitada de acordo com as leis das Ilhas Cayman. O fundo não investirá, direta ou indiretamente, em criptomoedas.”, diz o documento.

VER ARTIGO ORIGINAL