A Comissão de Negociação de Contratos Futuros de Commodities dos EUA (CFTC) condenou o húngaro-americano Peter Szatmari a pagar cerca de US$ 14 milhões em restituições e multas por fraude no mercado de opções binárias. A decisão foi publicada na terça-feira (13).

De acordo com a CFTC, a sentença encerra um caso, oriundo da Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC), que estava sendo analisado havia mais de um ano. Segundo o órgão, Szatmarie e um parceiro persuadiram milhares de americanos a aplicarem dinheiro em uma plataforma de opções binárias sem registro no país.

Conforme descreve a publicação, eles criaram um esquema para disseminar milhões de convites pela internet. A estratégia, descrita pelo órgão como “marketing de afiliados”, resultou em aproximadamente 25.000 novos registros e US$ 3,8 milhões em bônus para a dupla.

“Suas campanhas de marketing apresentavam atores se fingindo como traders e operando em software de negociação que descrevia resultados fictícios como reais”, diz a publicação.

Conforme a entidade, a campanha pretendia passar a ideia de um negócio lucrativo em opções binárias com pouco ou nenhum risco de perda. No Entanto, afirmou, enquanto eles recebiam milhões em gratificação pelos novos afiliados a maioria dos novos investidores perdia todos os seus fundos.

Vale lembrar que até pouco tempo no Brasil, a plataforma de opções binárias IQ Option também pagava bônus de afiliados para os divulgadores.

Preso por golpe em opções binárias nos EUA

Em um caso parecido, porém mais complexo, a Justiça dos EUA prendeu no início do ano o americano-israelense Austin Smith. Em novembro de 2019, ele foi julgado e condenado por conspiração e fraude eletrônica no mercado de opções binárias.

Depois de anos vendendo contratos em opções binárias, Smith criou uma empresa de recuperação de fundos para clientes que perderam dinheiro nas plataformas BinaryBook e a BigOption, nas quais ele atuava como divulgador a partir de Tel Aviv, em Israel.

No caso de Szatmari , ele deve pagar aproximadamente US $ 6,25 milhões em restituição aos clientes fraudados, e duas multas  — US$ 1,9 milhão e US $ 5,7 milhões — , além de ficar proibido de negociar em qualquer mercado regulado pela CFTC.

EUA caçam fraudadores

No mês passado, a CFTC ajuizou uma uma ação civil contra seis pessoas e quatro empresas acusadas de operar um esquema fraudulento de negociação de opções binárias entre 2013 e 2018.

Segundo o regulador, o golpe arrecadou mais de US$ 165 milhões (cerca de R$ 900 milhões) com transações ilegais de opções binárias fora da bolsa, em pares de moedas, petróleo e outras commodities.

As operações eram feitas em plataformas com sistema semelhante ao da IQ Option, proibida pela CVM no Brasil.

VER ARTIGO ORIGINAL